A BÍBLIA DIVIDE A LEI EM MORAL E CERIMONIAL?

Os adventistas alegam que a lei se divide em duas: moral e cerimonial. Fazem isto para salvar a guarda do sábado que dizem fazer parte dos mandamentos morais. Tais pessoas usam de todos os meios para conseguirem impor suas ideias, até mesmo citar autoridades protestantes fora do contexto. Mas vejamos se a Lei está dividida em duas, uma moral (os Dez Mandamentos) e a outra cerimonial (o livro da Lei). A primeira, dizem, “não foi cravada na cruz”, enquanto a segunda confessam, “foi totalmente ab-rogada”.

A divisão que fazem é a seguinte, conforme consta no livro “Estudos Bíblicos”.

LEI MORAL
  • Foi proferida por Deus
  • Foi escrito pelo dedo Deus em tábuas de pedra
  • Foi colocada dentro da arca
  • Deverá permanecer firme para sempre
  • Não foi destruída por Cristo
  • Devia ser engrandecida por Cristo
LEI CERIMONIAL
  • Foi ditada por Moisés
  • Foi escrita por Moisés num livro
  • Nenhuma coisa aperfeiçoou
  • Foi posta ao lado da arca
  • Foi cravada na cruz
  • Foi ab-rogada por Cristo
  • Foi tirada por Cristo

É bom saber que esta divisão não se encontra em nenhum lugar na Bíblia, verdade é que muitos teólogos protestantes fazem por mera conveniência a distinção entre princípios morais e cerimoniais, mas não que exista duas leis opostas como aparece na teologia adventista. Isso é tão verdade que os próprios adventistas precisaram admitir que esta divisão fosse artificial, observe o que eles mesmos dizem:

“Seria útil classificarmos as leis do Velho Testamento em várias categorias:

1) Moral;

2) Cerimonial;

3) Civil;

4) Estatutos e juízos;

5) Leis de Saúde.

Esta classificação é em parte artificial.” (Lição da escola Sabatina, p.18 de 08/01/1980).

O fato, e isto é incontestável, é que os judeus nunca dividiram a lei como fazem os adventistas.

A LEI PARA O JUDEU

A lei para o judeu era considerada “Una”. Não há de se supor que dentro da teologia judaica havia separação entre lei moral e cerimonial.

A única diferença que faziam era quanto “a lei escrita” (Torah) e “a lei oral” (Halakoth) e mesmo assim essa nuança era muito tímida. Até mesmo Flávio “Josefo parece estar bem próximo da concepção rabínica da Tora total: como a lei escrita, a Tradição também vem de Moises e, portanto de Deus” (Flavio Josefo Uma Testemunha do Tempo dos Apóstolos pág. 38, Contra Apião II). Veja que até mesmo a “Tradição” na concepção judaica, era considerada como parte da lei dada por Deus quanto mais as leis do livro.  

O NT não fala em nenhum lugar quais partes da lei eram consideradas rituais e quais eram morais. Quando o moço judeu indagou, “Mestre, qual é o grande mandamento na lei?” (Mateus 22.36), Jesus não perguntou, QUAL LEI? A moral ou a cerimonial? Isso mostra que para o judeu a lei era uma só, não duas. A Bíblia também não diz que a lei dada “por meio de Moisés…” era a cerimonial, não há esta suposta distinção entre moral e cerimonial (João 1.17).   

AS 3 LEIS DE ISRAEL – INTRODUÇÃO

As leis de Israel eram divididas em 3 tipos de leis.

1) Lei Moral ou Eterna: que é aquela que existia antes da entrada do pecado. Foi resumida nos 10 mandamentos e colocada dentro da arca da aliança.

2) Lei Cerimonial ou de ordenanças: Foi escrita num livro e colocada do lado da arca da aliança. Era baseada em sacrifício de animais que prefiguravam o sacrifício do messias. Quando o messias morreu em nosso lugar, naturalmente estas leis se tornaram caducas, caíram em desuso. Eram apenas parábolas de tempos futuros.

Podemos incluir nestas leis as Festas Sagradas como páscoa, tabernáculos, expiação, primícias, pães asmos, pentecostes. Elas também foram dadas como parábolas de acontecimentos futuros e muitas já se cumpriram literalmente. Por exemplo:

A Festa das semanas ou pentecostes se cumpria 50 dias após a Páscoa. A páscoa fora instituída por causa da libertação divina dos judeus que ocorreu sob a liderança de Moisés, mas profundamente simbolizava o sacrifício do messias através do cordeiro pascoal que era morto na páscoa. 50 dias após a morte e ressurreição de Cristo desceu o Espírito Santo sobre os discípulos, cumprindo a festa simbólica de Pentecostes.

3) Lei Civil de Israel: era parecida com a dos outros povos e incluía a lei de olho por olho e dente por dente. No entanto quando Deus era Rei de Israel ele aplicava a pena de morte sobrenaturalmente já que o salário do pecado é a morte (Romanos 6:23).

A lei civil tratava de muitas coisas como o divórcio e a questão dos escravos.

A Lei Civil e a Lei Cerimonial de Israel não são obrigatórias aos cristãos visto que se tornaram caducas, arcaicas e eram até mesmo de baixo valor moral.

Por exemplo, Jesus concordou que Moisés deu o divórcio a Israel (sob sanção divina) por causa da dureza dos corações do povo daquela época. Mas Jesus remeteu seu ensinamento a Lei eterna, na qual é proibido o divórcio.

www.cristoeaverdade.net - 2020 - Web Designer by Anselmo Perroni