COMO ADORAR A DEUS?            

Amados em Cristo, recentemente recebemos uma mensagem de uma irmã perguntando: Como devemos adora a Deus?

Gostaríamos de compartilhar com a igreja a resposta após uma rápida lapidagem:        

Nas igrejas denominacionais, é comum o pregador associar dízimos e ofertas com adoração a Deus, e muitos enfatiza dizendo: “Agora vamos adorar a Deus com os nossos dízimos e ofertas aqui no altar da casa do Senhor.”

Essa prática é um equívoco, mas precisamente um engodo para que os fieis sintam no coração a emoção que realmente estão agradando e adorando a Deus com obra material. Pois, na carta aos Romanos 11.35, a Palavra alerta dizendo: Quem deu primeiro a Ele, para que lhe seja recompensado? O que também fora ratificado no livro de Jó 41.11, onde o próprio Senhor disse: Quem primeiro deu a mim, para que eu haja de retribuir-lhe? Pois o que está debaixo de todos os céus é meu.

Portanto amados, é impossível adorar ou mesmo agradar a Deus doando qualquer bem material para as instituições religiosas.

No Antigo Testamento conhecemos que os homens santos de Deus o adoravam com sacrifícios e holocausto. Porem, em I Samuel 15.22 a Palavra ressalta que Deus não tem mais prazer em sacrifícios, veja: Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios como em que se obedeça à palavra do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros.

O que também foi citado em Isaias 1.11-14, onde o Senhor declara as ordenanças da lei, tornaram-se em aborrecimento para Ele, notem: De que serve a mim a multidão de vossos sacrifícios, diz o Senhor? Já estou farto dos holocaustos de carneiros e da gordura de animais nédios; e não me alegro com o sangue de bezerros, nem de cordeiros, nem de bodes.

Quando vindes perante mim, quem requereu isso de vossas mãos, que viésseis pisar os meus átrios? Não tragais mais ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e também as Festas da Lua Nova, e os sábados, e a convocação das congregações; não posso suportar iniquidade, nem mesmo o ajuntamento solene.

As vossas Festas da Lua Nova, e as vossas solenidades, as aborrece a minha alma; já me são pesadas; já estou cansado de as ver sofrer.

Mas no tempo da graça Adorar é amar. Adorar é venerar a Deus acima de tudo que existe, porque  Jesus certifica que não se adora mais a Deus com sacrifícios e holocausto, ou no cumprir qualquer ordenança da lei, nem tão pouco de forma material, mas em Espírito e em Verdade (João 4.22, 23). Vamos apreciar a Palavra de Jesus:

Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em Espírito e em Verdade.   

Adorar a Deus é amá-lo acima de todas as coisas, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento, porque este é o primeiro e grande mandamento. Adorar a Deus é amar o teu próximo como a ti mesmo (Mateus 22.35-39).

Porque se alguém disser ama a Deus e aborrece a seu irmão, é mentiroso. Pois, quem não ama seu irmão, ao qual vê como pode amar a Deus, a quem não vê? (I João 4.20). 

E na primeira carta aos Coríntios 13.1-3, a Palavra descreve a grandeza do sublime amor ao próximo, e diz: Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos e não tivesse caridade, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.

E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor ao próximo, nada seria.

E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse caridade, nada disso me aproveitaria.

Irmãos meditem na profundidade dos mandamentos do Senhor Jesus, sobre o amor ao próximo ou a caridade, pois, carta aos Hebreus 11.6, a palavra assegura que sem fé é impossível agradar a Deus, então avalie a narrativa da palavra em I Coríntios 13.13 onde a palavra diz: Agora, pois, permanece a FÉ, a esperança e a caridade, destas três, mas a maior destas é a  caridade. 

A palavra é reluzente e não deixa  sombra de dúvida  que a grandeza do amor ao próximo como caridade é maior que a FÉ. Porque  é pelo dom da FÉ em Deus, que guardamos os seus mandamentos e buscamos a santificação para fazer a sua vontade. E a Palavra ainda afirma que assim como o corpo sem espírito está morto, também a FÉ, sem obra é morta em si mesma (Tiago 2.26).

Mas para que aprendemos a amar e adorar a Deus verdadeiramente em Espírito e em Verdade, Ele nos amou primeiro,  o seu amado Filho Cristo Jesus é a maior expressão e prova do amor de Deus pela humanidade, porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3.16).

Portanto, aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor, e o seu amor é à base da aliança, o fundamento da sua fidelidade e a razão da eleição do seu povo.  

Adorar a Deus é guardar os seus mandamentos, pois no capítulo 2, versículo 9 da primeira carta universal do Apóstolo Pedro, o Senhor declara o seu amor de uma forma especial por aqueles que o adoram e buscam fazer a sua vontade, observem: Vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.

Essa adoração é dotada de compromisso com Altíssimo e confiança absoluta nele, diluindo amor aos inimigos e renúncia em favor dos necessitados. O amor é o sentimento de apreciação ao próximo, acompanhado do desejo de lhe fazer a caridade.

Porque o amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado. É a mais alta qualidade da vida cristã, norteando todas as relações de amor a Deus e ao próximo.

Na carta aos Romanos 5.6-8, a palavra revela e exemplifica a essência do verdadeiro amor; o amor do Senhor Deus pelo homem, ainda que este se encontrava morto no pecado pela queda Éden. Afirma o Senhor que por algum bom, por algum justo, pode ser que alguém ouse a morrer, Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.

Portanto amados, não deixe que o seu amor e adoração por Deus se enfraqueça, porque o amor de Deus dura para sempre, e aquele que adora a Deus, não anda na prática do pecado, porem, qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado. A  obra salvadora de Jesus Cristo é a essência do verdadeiro amor.

Deus seja eternamente louvado e o seu amado Filho Glorificado.

 

www.cristoeaverdade.net - 2020 - Web Designer by Anselmo Perroni
Apresentação

Apresentação do site

Quem Somos