A Carne é Fraca

“E, voltando para os seus discípulos, achou-os adormecidos; e os advertiu dizendo: Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca”. Mateus 26: 41.

Até que ponto, os que ensinam sobre este texto, verdadeiramente compreendem o que Jesus Cristo quis dizer quando afirmou que o espírito está pronto, mas a carne é fraca?

Há algum tempo presenciamos um famoso pregador televisivo, interpretando este versículo como se o Senhor Jesus tivesse deixado uma lacuna em sua palavra, abrindo um precedente para o homem se justificar com relação aos seus pecados, algo que é totalmente contrário à doutrina da salvação e santificação explícita na bíblia.

Sabemos que estudar um versículo bíblico, sem considerar o seu contexto, significa, na maioria das vezes, não compreender toda a verdade nele contida, e se adotarmos essa prática em relação às escrituras sagradas, obteremos quase sempre, um resultado confuso, cometeremos falhas, e induziremos muitas pessoas ao erro.

É comum ouvirmos testemunhos de irmãos alegando terem caído no pecado devido à fraqueza da carne e inclusive, citam como exemplo o apóstolo Paulo, que afirmou: “Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço”. Romanos 7: 19.

 Temos observado que, aqueles que não receberam a revelação da palavra através do Espírito Santo de Deus, mas tentam compreendê-la pelo seu próprio raciocínio, geralmente procuram juntar um versículo daqui e outro dali, como se fosse um quebra-cabeça, até conseguir uma ‘base bíblica” que dê respaldo a uma doutrina puramente humana.

Alguém já parou pra observar em que condições, Jesus declarou que a carne é fraca? Observe o contexto: “Chegando o Senhor a um lugar chamado Getsêmani, disse a seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto vou além orar, levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se muito. E lhes disse: A minha alma está cheia de tristeza até à morte; ficai aqui e vigiai comigo. E, voltando para os seus discípulos, achou-os adormecidos; e os advertiu dizendo: Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca”. Mateus 26.36-41.

Naquela ocasião a advertência aos seus discípulos, era unicamente para que permanecessem em constante vigília e oração, a fim de fortalecer o espírito, pois a hora em que o Senhor seria entregue às autoridades estava se aproximando, e a perspectiva, era de grande angústia e muita dor; precisavam estar fortes e unirem-se ao seu mestre durante as horas mais difíceis de sua vida na carne, por isso disse: “ficai aqui e vigiai comigo”.

Seus discípulos estavam cansados, exaustos e, debilitados fisicamente, e Jesus os encorajou, dizendo que o espírito está sempre pronto, mas a carne é fraca, dado à sua vulnerabilidade, pouca resistência e durabilidade; a carne é tendenciosa ao conforto e voltada para as coisas materiais.

O mestre ali, não estava dando aos discípulos uma justificativa para a cumplicidade à prática do pecado. Pelo contrário, admoestou-lhes para se santificarem ainda mais; desta forma, a carne não prevaleceria, e seriam capazes de suportar toda a dor e angustia que precisavam vivenciar naquele momento em prol da submissão à vontade de Deus, que era a de oferecer em sacrifício vivo o seu único filho, para perdão de nossos pecados.

Quando dizia que a carne é fraca, referia-se também a si mesmo, pois sabia que era chegada sua hora, e Ele próprio sentiu a fraqueza da carne na sua natureza humana, porque era homem de dores, servo sofredor.

Por outro lado, ainda que, possuía uma natureza humana, o fato de estar constantemente vigilante e em comunhão com o Pai, ao qual orava sem cessar, tornava o seu espírito forte, a ponto de vencer o pecado, deixando de lado a sua própria vontade, para submeter-se incondicionalmente à vontade daquele a quem amava, acima de todas as coisas.

A bíblia diz que, humanamente, Jesus era como nós: “Por isso convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo”. Hebreus 2: 17.

Sua carne era fraca, mas seu espírito era forte, por isso, ele não conheceu pecado, e “por tanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles”. Hebreus 7: 25.

Logo, se alguém é vencido pelo pecado, não é porque a carne é fraca, mas porque o espírito do homem está fraco; este ainda não recebeu os dons do Espírito Santo do Senhor para conversão, salvação e certeza de vida eterna. Porque se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados”. Hebreus 10.38

Quando deixamos de ser, homens e mulheres naturais e passamos a ser, homens e mulheres espirituais a luz da bíblia, as escrituras nos dizem que já não temos prazer nenhum no pecado.

Se alguém quer tomar Paulo como exemplo, deve então atentar para tudo o que ele disse, e não apenas para uma única frase. Eis aqui algumas palavras de Paulo:

  • “Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne?”. Gálatas 3: 3.
  • “Digo, porém, andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne”. Gálatas 5: 16.
  • “Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele, porque, se viverdes segundo a carne, morrereis, mas se pelo espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis”. Romanos 8: 9.
  • Porque os que são segundo a carne, inclina-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito, para as coisas do Espírito”. Romanos 8.5-13

 

Isto de maneira nenhuma define que uma vez que conhecemos a graça de Jesus Cristo, nunca mais cometeremos pecado algum. Mas tudo o que foi escrito, para o nosso ensino foi escrito, e a verdade é que, à medida, em que nos santificamos através do conhecimento de Deus e da sua palavra, a probabilidade de pecarmos contra o Senhor é bem menor, pois o pecado nos entristece profundamente.

É por isso que Paulo insistia em dizer:“Os que são de Cristo Jesus, crucificaram a carne com as paixões e concupiscências”. Gálatas 5: 24.

Mas alguém pode ainda questionar: E se alguém pecar?

Se alguém pecar, deve seguir a orientação que está no livro de I João 2:1: “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo”.

 

Louvai ao Senhor!

www.cristoeaverdade.net - 2020 - Web Designer by Anselmo Perroni
Apresentação

Apresentação do site

Quem Somos